header top bar

section content

Ceará é referência no envio de córneas para transplante

Uma parceria entre a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social e a Secretaria da Saúde do Ceará possibilitou zerar as filas de espera no Estado. A situação facilitou o envio do tecido para outras unidades do País

Por Diário do Nordeste

19/09/2019 às 18h04 • atualizado em 19/09/2019 às 18h09

Procedimento médico não é considerado de alto risco e raramente ocorrem rejeições em transplantados. Foto: Fernanda Siebra

Com filas de espera zeradas desde 2016, o Ceará tem se tornado uma referência no envio de córneas para transplante em outros estados. Apenas neste ano, foram fornecidos 397 do tecido para hospitais de fora, segundo o Banco de Olhos do Ceará. O número, que considera também os dados da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), representa esperança para pessoas que precisam do procedimento cirúrgico.

Ao todo, foram 13 estados beneficiados desde janeiro, entre eles Maranhão, Rio de Janeiro e Pará. O envio só foi possível graças a uma parceria entre a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e a Secretaria da Saúde (Sesa), que acumulou 3.288 doações desde 2016.

A coordenadora da Central de Transplantes do Ceará, Eliana Barbosa de Almeida, explica que os números desse tipo de transplante são altos em razão da cooperação entre as pastas. “Antes, tínhamos apenas um núcleo de doações e o período de espera era de seis meses. Com a integração, nós passamos a três núcleos em todo o Estado, zeramos a fila e passamos a disponibilizar para outros estados”, diz.

VEJA TAMBÉM: 

Pela 2ª vez, jovem sertanejo é selecionado em cadastro internacional e doa medula óssea em SP

7 Doenças com sintomas nos olhos: saiba o que a sua visão diz sobre a sua saúde

De acordo com Eliana, outros fatores colaboram com os bons números, a exemplo da rapidez do transplante. “Além do procedimento não ser considerado de alto risco e raramente haver rejeições, o grupo sanguíneo também não é requisito para o receptor”. Conforme a coordenadora, em outros estados, “as filas de espera também zeraram, mas logo depois voltaram a crescer. Porém, o Ceará mantém os números firmes”.

SOLIDARIEDADE

O sucesso na captação de córneas vem de atitudes de amor e solidariedade, como as de Sônia Lima, que perdeu o filho Willamy Lima em 2018 e decidiu doar as córneas. “Saber que alguém enxerga com os olhos dele me faz sentir que ele não se foi totalmente. Sinto que ainda pode ver o sol, apreciar a vista do mar, como ele tanto gostava”, conta.

Por ter sido vítima de uma bala em uma perseguição policial, Sônia conta que os outros órgãos do filho não poderiam ser aproveitados. “Se pudesse, eu doaria até o último fio de cabelo dele. Hoje, uma mãe ou um pai devem estar muito felizes pelo filho (a) conseguir enxergar”, comenta.

EMOÇÃO

Transplantado pela primeira vez aos 14 anos, o assistente de logística Frank Marques, 38, que perdeu a visão por causa da ceratocone (uma doença genética que muda a estrutura da córnea), relata. “Fiz o primeiro transplante aos 14 anos. Um dos primeiros procedimentos do tipo no estado. Já o segundo transplante aconteceu aos 33”.

“Precisei me adaptar, principalmente nos estudos. Hoje já não preciso mais. Voltar a enxergar com os dois olhos é uma sensação maravilhosa. Pude retomar muitos sonhos. Passei a ver a vida com outros olhos, a dar mais valor aos pequenos detalhes”, conta, emocionado.

Fonte: Diário do Nordeste - https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/editorias/metro/online/ceara-e-referencia-no-envio-de-corneas-para-transplante-1.2151409

Recomendado para você pelo google

AGRESSÃO AO MEIO AMBIENTE

VÍDEO: Após lutar contra fogo em serra, padre faz alerta sobre queimadas ‘criminosas’ em Cajazeiras

COMBATE AO CÂNCER DE MAMA

VÍDEO: Prefeitura de Cajazeiras abre campanha Outubro Rosa com entrega de mamógrafo para a população

ECONOMIA

VÍDEO: Mensagem Empresarial recebe empresário José Kennedy e debate sobre o setor calçadista no Brasil

JUSTIÇA

VÍDEO: Xeque Mate promove debate entre promotor e advogado sobre nova lei de abuso de autoridade