header top bar

section content

VÍDEO: Juiz do Ceará concede liminar para mulher se submeter a cirurgia de R$ 120 mil paga pelo Estado

Maria Valdeny, de 51 anos, tem Aneurismas Intracraianos (AIs) cavernosos gigantes, sendo que este é uma espécie rara de aneurisma e de difícil acesso cirúrgico

Por Jocivan Pinheiro

21/06/2021 às 15h48 • atualizado em 21/06/2021 às 16h19

O juiz João Pimentel Brito, titular da Vara Única da Comarca de Aurora, no Ceará, concedeu liminar de urgência a uma mulher para a realização de uma cirurgia de embolização para tratamento endovascular cerebral, cujo objetivo é retirar dois grandes aneurismas. De acordo com a decisão do juiz, o procedimento deve ser custeado pelo Estado do Ceará na rede pública de saúde.

Maria Valdeny, de 51 anos, alega que após ser submetida à avaliação de uma equipe médica do Hospital Santo Antôniom em Barbalha-CE, foi constatado que seria necessária a realização de um procedimento cirúrgico de urgência devido à presença em seu crânio de Aneurismas Intracraianos (AIs) cavernosos gigantes, sendo que este é uma espécie rara de aneurisma e de difícil acesso cirúrgico, além de um alto risco de ruptura de 6,4% em cinco anos.

O custo total do procedimento cirúrgico da mulher foi orçado em R$ 120.200,39, sendo um valor completamente fora de sua realidade financeira, tendo em vista que a mulher sobrevive com uma renda mensal de R$ 168,00 provenientes do Programa Bolsa Família.

VEJA TAMBÉM: Em operação inédita no Sertão, idoso é transferido de helicóptero de João Pessoa para Hospital Regional no Vale do Piancó

Maria Valdeny tem que passar cirurgia para retiar Aneurismas Intracraianos (AIs) gigantes

Sem poder arcar com os custos da cirurgia, a mulher procurou ajuda na rede pública municipal de saúde, ocasião em que foi negada a realização de sua cirurgia, tendo alegado a Secretaria Municipal de Saúde que a cirurgia da mulher não seria custeada pelo Município de Aurora por ser de alto custo, bem como não fazia parte da lista de procedimento disponibilizados pelo componente básico e estratégico pactuado com o Estado do Ceará.

A ação foi movida contra o Estado do Ceará, afirmando que “tratava-se de um direito seu em ser amparada pelo sistema público de saúde, uma vez que se trata de procedimento de urgência em que confere grave risco de vida, motivando a presente ação e em se tratando de procedimento cirúrgico de urgência. Tendo em vista os direitos constitucionais da dignidade da pessoa humana e à saúde, compete ao poder público agir imediatamente no sentido de disponibilizar o referido tratamento pelo sistema SUS ao paciente, eis que a demora poderá causar-lhe lesão permanente e risco de morte”.

CEARÁ 1

ESTAVA FECHADO

VÍDEO: Após morte de cavalo, defensora de animais aciona a Justiça e desabafa contra hospital do IFPB

PRIMEIRO PASSO

VÍDEO: Deputada e vereadora se unem por universidade no Vale do Piancó e ganham doação de terreno

MAIS UM CASO

VÍDEO: Suposta candidatura laranja de mulher ameaça eleições de São José de Piranhas, segundo advogado

OPINIÃO

VÍDEO: Professor de Direito diz que CPI tem material suficiente para derrubar Bolsonaro; “tem que cair”

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!