header top bar

section content

Quais são os remédios que não podem faltar na casa de quem tem cachorros e gatos

Cuidar da saúde dos nossos amigos é essencial para o bem-estar de todos

Por Gear SEO

31/01/2020 às 15h54 • atualizado em 31/01/2020 às 15h55

Quais são os remédios que não podem faltar na casa de quem tem cachorros e gatos

Cachorros e gatos são parte da nossa família, por isso, o cuidado com a saúde desses bichinhos precisa ser nossa prioridade, para, assim, garantirmos o bem-estar, não só deles, mas também de todo mundo que mora na casa.

Além de manter a vacinação em dia e levar o pet ao veterinário sempre que ele apresentar algum sintoma que possa indicar problemas, todo dono de animal deve ter em casa alguns medicamentos básicos, como antipulga e antibactericida.

Como evitar as pulgas e carrapatos?

As pulgas e carrapatos são, com certeza, os maiores vilões do mundo animal. Eles se alimentam do sangue dos bichinhos e precisam ser evitados, pois, além de causarem coceira e desconforto nos animais, podem transmitir várias doenças, inclusive para os humanos.

A melhor maneira de manter esses parasitas bem longe da sua casa e do seu bichinho é a prevenção. Há várias opções de medicamentos no mercado, e administrá-los regularmente pode ajudar a evitar o contato entre esses seres incômodos e o seu pet.

Além do uso de medicamentos, manter tanto o animal quanto o ambiente em que ele vive sempre limpinhos pode evitar as infestações, assim como prevenir outras dermatites e alergias. Escovar seu pet com regularidade também é uma boa ideia, pois ajuda a identificar os parasitas, facilitando sua eliminação.

Mesmo com todos os cuidados, pode acontecer de seu cachorro ou gato ser infestado, principalmente se ele tem muito contato com ambientes externos ou outros animais. Por isso, é sempre bom ter em casa remédios antipulga e anticarrapato, que podem eliminar rapidamente o problema.

O que mais preciso ter na farmacinha do meu pet?

Os animais também estão sujeitos a infecções e alergias, especialmente na pele ou nas vias respiratórias. Mas, felizmente, assim como para os humanos, também há no mercado medicamentos antialérgicos, antibactericidas e antimicrobianos para tratar esses problemas.

O medicamento ideal vai depender do tamanho e da raça do seu bichinho e só um profissional pode indicar qual é o mais indicado para o seu pet, após analisar cuidadosamente o caso dele.

Como também não é incomum que os bichinhos se machuquem brincando, pode ser uma boa ideia ter na farmacinha do seu pet itens de limpeza e curativos, como soro fisiológico e gases. Se o ferimento não for grave, os primeiros socorros podem ser feitos em casa.

Como administrar os remédios?

Alguns animais aceitam facilmente a ingestão de medicamentos, mas outros tornam essa tarefa impossível. Cada caso é um caso, mas algumas dicas podem ajudar a diminuir o estresse desse momento.

Em alguns casos, é possível “camuflar” o medicamento, misturando-o à comida ou à água do animal. Mas é preciso checar com o veterinário se não há nenhuma contraindicação, algumas cápsulas podem perder o efeito se abertas, por exemplo.

Além disso, nem sempre essa é uma boa opção, porque os animais podem se incomodar com o gosto do remédio. Por isso, em geral, os comprimidos são mais fáceis de administrar, pois é possível segurar o animal e inserir o medicamento direto na boca.

Os felinos, por exemplo, costumam salivar bastante e são difíceis de enganar. Um bom jeito é segurar o gato — com cuidado para não levar unhadas — e inserir o remédio em sua boca o mais fundo que conseguir, evitando o contato do medicamento com a língua dele.

A verdade é que cada dono acaba aprendendo, com o tempo, a melhor forma de fazer o seu bichinho aceitar o medicamento. Por isso, se for difícil na primeira vez, não entre em pânico. Você vai acabar pegando o jeito.

Tags:

Recomendado para você pelo google

PRECAUÇÃO

VÍDEO: Xeque Mate recebe profissionais da saúde e segurança e fala dos cuidados durante o carnaval

CRIANÇA MORREU DE MENINGITE

VÍDEO: Médica explica por que Ana Caroline não foi transferida, e afirma que não há motivo para pânico

CASO GRAVE

Criança de 8 anos morre vítima de meningite no Hospital Universitário Júlio Bandeira, em Cajazeiras

CONCESSIONÁRIA

VÍDEO: Brazauto de Cajazeiras anuncia promoção de Carnaval para os carros mais populares da Toyota