header top bar

section content

Bancos e Fintechs: entenda as diferenças e o que escolher em cada caso

Entenda como fintechs e bancos atuam no mercado brasileiro

Por Gear SEO

31/01/2020 às 15h23

Bancos e Fintechs: entenda as diferenças e o que escolher em cada caso

Nos últimos anos aconteceu uma das maiores mudanças do mercado financeiro do Brasil, o surgimento de uma nova dinâmica dos bancos. Com a crise e a difícil situação econômica, diversas startups do setor financeiro, as chamadas fintechs surgiram, trazendo novas opções para os consumidores.

Com a chegada das fintechs, os bancos tradicionais tiveram que mudar a sua relação com os consumidores. Novas soluções, como contas digitais, cartões de crédito sem taxas, entre outros produtos, fizeram com que os bancos criassem suas próprias fintechs ou realizassem parcerias com outras empresas.

Quais são as principais diferenças entre bancos e fintechs?

Um panorama novo surgiu no mercado, logo, o mercado mudou. Fintechs são diferentes de bancos e vice-versa. Então, separamos as principais diferenças entre eles e mostraremos para você abaixo:

Cultura organizacional

A primeira diferença entre bancos e fintechs é a cultura organizacional dessas empresas. As fintechs costumam incluir mais os colaboradores em suas decisões, incentivando a inovação e buscando sempre um propósito, a fim de ajudar mais e mais pessoas.

Os bancos possuem uma cultura organizacional mais centralizada na instituição. As decisões são tomadas pela gerência e seguidas pelos colaboradores. Não há muito espaço para propostas inovadoras, os produtos e serviços costumam vir de cima para baixo.

Operação

Os bancos tradicionais ainda estão se adaptando à transformação digital. Com isso, ainda mantêm suas agências físicas e boa parte das transações ainda devem ser realizadas presencialmente. Já as fintechs possuem a tecnologia em seu gene, com isso, as operações são 100% on-line.

Por ter uma estrutura menor e mais tecnológica, as fintechs conseguem focar em problemas específicos. Diferentemente agem os bancos, que possuem operações em diversas áreas do setor financeiro. Contudo, por conta do tamanho de sua estrutura, os bancos conseguem atender mais necessidades dos clientes, já que abrangem muitos serviços, que, muitas vezes, não estão no radar das fintechs.

Regulamentação dos serviços

Apesar de serem empresas com grande potencial, as fintechs não são bancos, isso indica que não há uma regulamentação definida sobre os seus serviços. Isso acaba fazendo com que muitas fintechs precisem dos bancos, se aliando a eles.

Qual é a melhor opção?

Tanto bancos tradicionais como fintechs têm benefícios, tudo depende do perfil do cliente, seu objetivo e pretensões. Quem coloca a inovação tecnológica como ponto forte pode priorizar o serviço das fintechs, já que esse item é estrutural para essas startups. Mas há outros critérios e atributos que merecem atenção.

Confira alguns serviços existentes no setor e como eles funcionam em bancos e fintechs.

Cartões de crédito e contas digitais

Os cartões de crédito e as contas digitais oferecidas por fintechs ganharam a concorrência dos bancos por apresentarem soluções que diminuem burocracias. Um exemplo de facilidade é a isenção de taxas sobre cartões e contas. Na dinâmica financeira tradicional, isso era impensável.

Em operações como empréstimos e financiamentos, os bancos tradicionais ainda são os mais escolhidos. Isso acontece porque eles são sinônimos de segurança e credibilidade. E como essas operações oferecem grandes riscos de endividamento, a maioria das pessoas opta pelo serviço mais tradicional.

Empréstimos e financiamentos

Porém, já existem fintechs focadas em intermediar empréstimos e financiamentos. Por não serem bancos, essas empresas não podem atuar como tais, mas elas conseguem compilar mais opções, o que ajuda o cliente a encontrar ofertas mais vantajosas. Os bancos oferecem menos opções, voltadas aos seus produtos.

Investimentos

Em relação a investimentos, tanto as fintechs como os bancos possuem diversas opções. Nesse setor, inclusive, há muitas parcerias, o que garante boas opções de investimentos de baixo e alto risco em ambas.

As carteiras de fintechs e bancos são recheadas de fundos de renda fixa e variável. Já quem procura investir no mercado de ações pode recorrer a corretoras. Elas são mais indicadas para investimentos de alto risco.

DINHEIRO E MOTOS

VÍDEO: Rota Fácil, do Grupo Geraldo Lira em Cajazeiras, premia ganhadores de vários estados do Nordeste

ESPIRITISMO

VÍDEO: Programa Mensagem de Esperança apresenta palestra com o tema: “Os Obreiros do Senhor”

DECISÃO POLÊMICA

EXCLUSIVO: Padre excomungado pela Diocese de Cajazeiras revela por que trocou de Igreja Católica

ASSISTA

Médico revela que o único teste que detecta o novo coronavírus é o RT-PCR: “Já cansei de dizer aqui”

Recomendado pelo Google:
error: Alerta: Conteudo Protegido !!